A Era da Experiência nos Empreendimentos - Brain

Este site utiliza cookies para a análise de uso. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Canal Brain

O maior portal de conteúdos sobre inteligência de mercado.

A Era da Experiência nos Empreendimentos

20/10/2020, 14:52

Por Guilherme Takeda

As experiências, a felicidade e o bem-estar vividos são o novo símbolo de prestígio e destaque. O sucesso está sendo redefinido. Não é mais o que você tem. É como você vive. 

Vivemos hoje uma megatendência mundial de transição do modelo de consumo de valorização da posse, para a valorização cada vez maior da experiência. Por isso, projetos orientados à experiência estão tornando obsoletos empreendimentos tradicionais. 

Imagens cedidas por: Takeda Design

Era da Experiência

78% dos millennials preferem gastar mais em experiências que em posses. A tendência se espalha e já está tendo efeitos extremos na economia global. A mudança para uma economia da experiência muda as prioridades e a forma como as pessoas gastam seu tempo e dinheiro. Isso requer uma mudança fundamental na forma como olhamos para tudo. 

Mais que acumular coisas, as pessoas cada vez mais querem viver experiências. Isto melhora suas vidas e as tornam mais felizes e prestigiadas.

No mercado imobiliário, não é mais uma questão de metros quadrados, mas de criar lugares para vivenciar experiências reais, sensoriais e inspiradoras.

Sucesso não é o que você tem. É como você vive.

Uma grande parte do mundo não tem bens materiais e ainda precisam disso. Mas, uma vez que tem o básico, hoje as pessoas buscam mais experiências e satisfação emocional.

Muito do que era considerado “bem-sucedido” girava em torno da prosperidade e da estabilidade. O significado de uma pessoa era definido muito pelo que ela tinha. Mas o sucesso está sendo redefinido. Não é mais sobre o que você tem, mas sobre como você vive.

A experiência e o bem-estar são a nova fronteira. São o novo símbolo de status. Experiências únicas são os bens de luxo desta época.

Satisfação Emocional

Um conceito, já fortemente utilizado no mercado de hospedagem, vem cada vez mais ganhando força na conceituação de empreendimentos imobiliários. É o conceito de experiência, engajamento, exclusividade e emoção.

Imagens cedidas por: Takeda Design

No produto imobiliário, mais que espaços físicos, projetamos ambientes que proporcionam experiências exclusivas de bem-estar e momentos especiais e memoráveis que envolvem e tocam a emoção das pessoas.

Beleza, novidade, autenticidade, clareza, inspiração e uma sensação de boas-vindas dão um impacto mais significativo na experiência. Isto vai muito além de apenas fatores funcionais do espaço. Envolve bem-estar, harmonia, experiências multissensoriais, memória emocional, acolhimento, deleite, socialização, conexão com a alma do local, identidade das pessoas, sentimento de pertencimento, vínculo afetivo… Os melhores lugares envolvem a satisfação emocional das pessoas.

As empresas cada vez mais competem com base na experiência e na satisfação emocional que proporcionam. Nossas ações são formadas sobre as associações e sentimentos que formamos. A neurociência vem comprovando que nossas emoções “decidem” na hora da compra.

Melhor design, melhor experiência

O design do espaço físico tem um impacto significativo e quantificável na qualidade da experiência das pessoas. Pesquisa etnográfica, qualitativa e quantitativa baseada em mais de 4.000 entrevistados mostra que o design é o principal fator de diferenciação para uma ótima experiência de lugar. Ele é fator chave para determinar como nos sentimos sobre os espaços que ocupamos.

Para projetar a experiência é necessário entender a mentalidade, os comportamentos, as emoções e os desejos das pessoas. Existe uma conexão direta entre design e experiência através dos sentimentos e emoções humanas que influenciam a experiência positiva do lugar.

Os espaços públicos oferecem várias lições que podem ser adaptadas a qualquer tipo de espaço. Espaços públicos suportam a mais ampla diversidade de experiências, oferecem algumas das melhores experiências em geral e são os mais propensos a serem compartilhados nas redes sociais pelos visitantes. Sua diversidade e natureza acolhedora provam ser componentes-chave que todo espaço deve aspirar.

O Boom Imobiliário da Experiência de Bem-Estar

A pesquisa “World’s Top Global MegaTrends To 2025 and Implications to Business, Society and Cultures” mostra que as megatendências mundiais com maior grau de certeza de crescimento até 2025 são Bem-Estar e Urbanização. 

O mercado do bem-estar é um dos setores de maior crescimento mundial. E está entrando com toda força no mercado imobiliário. A participação da construção no mercado global de bem-estar está longe do seu potencial. Portanto há um grande espaço para crescimento acelerado.

Segundo Ophelia Yeung, da Global Wellness Institute:

“Nos últimos anos, o bem-estar tornou-se um valor de estilo de vida dominante que está mudando profundamente o comportamento do consumidor e mudando os mercados”.

Imagens cedidas por: Takeda Design

O boom imobiliário de bem-estar intensificado por conceitos como wellness, neuroarquitetura, paisagismo biofílico, design de experiência e psicologia positiva é mais do que uma tendência. É uma demanda mundial que iniciou em prédios comerciais, está prestes a explodir no mercado residencial, segundo relatório da Global Wellness Institute.

O setor de bem-estar está influenciando a ascensão de empreendimentos imobiliários focadas em um novo estilo de vida de bem-estar e saúde.

Mais que um ambiente construído, as pessoas buscam experiências de bem-estar e felicidade.

Com tanto potencial de crescimento, é importante compreender os detalhes desta tendência para projetar um conceito imobiliário mais centrado nas novas necessidades dos clientes.

*A opinião do autor não reflete necessariamente a visão da Brain Inteligência Estratégica.

Veja também:

Ao brasileiro falta sentimento de pertença e educação

Por Rodrigo Corrêa de Barros Em tempos de recessão mundial, no qual a tecnologia ganha protagonismo, há avanços consideráveis na…

A pandemia e os contratos de compra de imóveis

A pandemia Covid-19 atingiu o Brasil a partir de março de 2020, trazendo incertezas e afetando sobremaneira os negócios de…

O cenário econômico nacional e a Construção Civil

As estimativas mais pessimistas para a economia brasileira, realizadas no auge da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, estão ficando para trás. Instituições financeiras, consultorias, analistas e até mesmo organismos internacionais estão refazendo suas projeções para o país.