Os artigos mais acessados de cada colunista da Brain em 2020 - Brain

Este site utiliza cookies para a análise de uso. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Privacidade.

Canal Brain

O maior portal de conteúdos sobre inteligência de mercado.

Os artigos mais acessados de cada colunista da Brain em 2020

15/12/2020, 15:47

Neste ano, lançamos o nosso novo site e, com ele, uma novidade: colunas de especialistas de diversas áreas. Eles compartilharam seus conhecimentos e opiniões, trazendo o que há de mais relevante para o setor. Confira quais foram os artigos mais acessados de cada um:

Nesse artigo, Adriane apresenta algumas dicas práticas sobre como apresentar seu currículo em forma de vídeo na hora de buscar uma nova colocação profissional. Em suas palavras, “se você está em busca de nova colocação profissional, prepare-se para apresentar suas habilidades em um formato mais moderno e tecnológico: é cada vez mais comum que os recrutadores peçam aos candidatos um currículo em vídeo. A modalidade, que antes era considerada novidade ou tendência, hoje já é realidade – e quem ainda não se atentou para isso deve se antenar o quanto antes”.

Guilherme Takeda destaca no artigo que “a mudança para uma economia da experiência muda as prioridades e a forma como as pessoas gastam seu tempo e dinheiro. Isso requer uma mudança fundamental na forma como olhamos para tudo”, inclusive para o setor imobiliário.

Com cidades com diversos problemas, como insegurança, falta de limpeza, ausência de jardinagem, manutenção ruim de luminárias e mobiliário urbano, Fabiano destaca que “há sempre uma luz no fim do túnel quando assumimos como nossas as responsabilidades pelo bem-estar comunitário” e que as associações de bairro são um caminho para isso.

Segundo Orlando, “a resposta para esta questão estará condicionada à forma como serão aplicados os recursos financeiros provenientes da arrecadação promovida pela utilização deste instrumento”. Ele ainda ressalta que uma má aplicação da Outorga Onerosa pode ser mais prejudicial ao setor do que a sua falta no município.

Ricardo aponta que apesar de uma flexibilidade e boa vontade das incorporadoras em negociações durante esse período, há casos em que o promitente comprador não possui mais condições de manter o contrato. Nesses casos, “é recomendável cautela no momento da celebração dos distratos. Para aqueles contratos em que já houve pagamento de parte relevante do preço, é fato que a incorporadora pode compensar seus prejuízos com uma retenção menor do que os 50% permitidos pela lei. Assim o fazendo, pode minimizar o prejuízo do consumidor, ao passo em que cobre os seus custos, e evita o nascimento de um litígio com discussão sobre eventual abusividade do dispositivo legal em questão”.

Nesse artigo, Caio ressalta a importância de o engajamento da indústria imobiliária em geral nas discussões sobre o futuro das cidades. Ele destaca que devemos “questionar, investigar, colaborar para que os postulantes coloquem como objetivo primário de suas gestões o desenvolvimento urbano sustentável, objetivo esse que todos nós empreendedores privados da indústria imobiliária somos parceiros e dedicados”.

Nesse artigo, Vanessa apresenta o crowdfunding como um grande viabilizador de projetos. Ela destaca que ele “pode se tornar um produto mais atrativo para o investidor, que poderá ter a opção de investir em players do setor, que tenham o nome já consolidado e que venham a se utilizar desse tipo de captação”.

Eduardo apresenta nesse artigo um comparativo entre moradias horizontais e verticais em pequenas e grandes cidades, destacando que na hora de escolher “o importante é ter uma casa ou apartamento que seja um lar, um refúgio e um abrigo para si e para a família”.

Abordando um tema voltado à economia, Ieda fez um panorama sobre o cenário econômico nacional e a construção civil, pontuando que “as estimativas mais pessimistas para a economia brasileira, realizadas no auge da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, estão ficando para trás”.

Em um cenário em que muito se fala sobre inovação e o crescimento exponencial de startups, em todos os setores, Rodrigo traz uma reflexão em seu artigo sobre como “no modelo econômico atual não dá para explodir o crescimento o tempo inteiro, muito menos prometer isso aos investidores”.

Você já deve ter ouvido falar que teoria e prática são diferentes. Nesse artigo, Leticia aborda a “necessidade do vínculo íntimo entre o que está escrito e planejado com a realidade do dia-a-dia. Assim como a teoria e a prática precisam estar interligadas e se retroalimentando, o mesmo acontece com o planejamento e sua execução”.

Nesse artigo, Eduardo aborda como “a atividade do parcelamento do solo através dos loteamentos tem-se mostrado de fundamental importância para o desenvolvimento orgânico das cidades”. Ele apresenta também os desafios que os compradores enfrentam no Brasil para colocar em prática essa questão.

Nesse artigo, Rafael aponta que é importante raciocinar que tipo de atividades e fatores podem ser implementados para tornar as cidades mais inteligente. “O que tem se tornado evidente é que uma cidade inteligente não pode prescindir de soluções que contribuam de forma decisiva para seus habitantes como é o caso do self storage, que vem se consolidando como um grande resolvedor de problemas tanto para pessoas físicas como para as pessoas jurídicas”.

No artigo, Natalia e Pedro discorrem com otimismo sobre o Projeto de Lei Complementar PLP nº 249/2020 e sua relação com o setor imobiliário. O PLP 249/2020 “traz consigo algumas importantes novidades em torno da definição de startups, relação com o investidor anjo e regime especial de contratação com a Administração Pública”.

Nesse artigo, nosso sócio dirigente, Fábio Tadeu Araújo, aponta que “a pandemia, apesar de ter causado grave recessão no setor econômico, abriu uma série de oportunidades para o semestre que se segue, em particular para o mercado imobiliário. Seja em termos de lançamentos, melhoria na comunicação entre empresa e cliente, e até processos de venda via internet, a perspectiva é de melhora”.

Nesse artigo, nosso sócio fundador, Marcos Kahtalian, apresenta uma visão de mercado sobre como se preparar para o ramo da construção civil em 2021. “Os próximos meses prometem ser emocionantes e desafiadores. O consolo, se pode haver, é que esse cenário vale para todos. Então, faça-se a pergunta: como posso me proteger dessa inflação de custos e ainda manter minhas vendas? É hora de aplicar mais inteligência na obra, no produto, no mercado – o que já vemos acontecer”.

Confira esses e outros conteúdos em nosso canal!

Veja também:

Indicadores Imobiliários Florianópolis 1ºTri 2020 – FIQUE POR DENTRO DO MERCADO com Guilherme Werner

O sócio-consultor da Brain, Guilherme Werner, fala sobre os indicadores imobiliários de Florianópolis do primeiro trimestre de 2020. Nessa edição…

Setor da construção civil aquece retomada da economia com boa geração de vagas formais.

Veja um pouco dos dados do CAGED sobre a geração de empregos formais no Brasil. Entenda quais setores estão sendo os pilares da retomada econômica.

Juros na mínima contribuem para alavancar financiamento da casa própria e renovar ânimo do setor imobiliário para 2020

O crédito imobiliário ainda respira mesmo baqueado pelos efeitos da pandemia. As condições favoráveis para o financiamento da casa própria,…